Dúvida: Pavimento Radiante Elétrico ou Hidráulico?

Orçamentos na construção civil Fóruns Instalações técnicas Dúvida: Pavimento Radiante Elétrico ou Hidráulico?

Este tópico contém 21 respostas, tem 3 utilizadores, com a última actualização feita por  Etics Há 5 meses, 4 semanas.

  • Autor
    Artigos
  • #69858

    Vitor Hugo
    Moderador

    Boas pessoal do Forum.

    Num momento de planificação de obra, surgem as dúvidas quanto aos modelos de conforto a adoptar, desde o tipo de isolamento térmico, da caixilharia a adoptar e também ao sistema de climatização.

    Dentro da climatização, pelo conforto térmico conseguido, cada vez mais se estão a utilizar sistemas de radiante, nos tectos, paredes, mas sobretudo ao nível do pavimento.

    Um dos principais argumentos do PRE face ao PRH é o valor do investimento na aquisição (o que comercialmente normalmente se associa a necessidade ou obrigatoriedade de uma bomba de calor); em contrapartida, nos prh as vantagens residem na possibilidade de conjugação de meios de produção de energia e na vantagem de possibilidade de refrescamento.

    Mas na prática será mesmo assim?

  • #69859

    Etics
    Participante

    O aquecimento por piso radiante é uma das formas de climatização mais eficiente já que é utilizada maioritariamente a troca de energia por radiação que além de proporcionar uma forma de troca de energia mais eficiente permite ter o mesmo patamar de conforto com temperatura mais baixas.

    Quantos de nós não sentiram já o calor emanado pela porta de um forno?

    Quanto de nós não se sentiram já confortáveis num dia de inverno, frio, em que a exposição à radiação solar é o suficiente para proporcionar sentirmos-nos mais confortáveis?

    [quote quote=69858]Um dos principais argumentos do PRE face ao PRH é o valor do investimento na aquisição (o que comercialmente normalmente se associa a necessidade ou obrigatoriedade de uma bomba de calor); em contrapartida, nos prh as vantagens residem na possibilidade de conjugação de meios de produção de energia e na vantagem de possibilidade de refrescamento.[/quote]
    O PRH é uma excelente solução de aquecimento e de facto as alternativas de fontes de energia que possibilita é uma das suas grandes vantagens. Quando associado a uma bomba de calor e mesmo ao solar térmico permite custos de exploração “muitos baixos” no entanto é essencial ponderar os custos de instalação já que, comparando com o PRE, poderemos estar a falar em mais de 10 anos para reaver o investimento.

    Resumindo: existem soluções que se devem escolher em função da “capacidade” financeira de cada um.

  • #69860

    Etics
    Participante

    Seria interessante, se os participantes aceitarem, colocar um exemplo para cada uma das soluções de aquecimento que se estão a discutir: PRE (Piso Radiante Elétrico) VS PRH (Piso Radiante Hidráulico).

    Pelo lado do piso radiante elétrico posso apontar por exemplo para uma moradia com 200m2, com piso radiante em todos os compartimentos, com regulação de temperatura programável em todos os compartimentos e com 3cm de isolamento térmico de pavimento o custo aproximado de 20€-25€/m2 + IVA. Teremos assim um valor entre 4.000€+IVA e 5.000€+IVA.

    Quanto custará uma solução de piso radiante hidráulico com bomba de calor, isolamento térmico de pavimento incluído, regulação de temperatura em todos os compartimento para a mesma área?

  • #69861

    Vitor Hugo
    Moderador

    [quote quote=69860]Seria interessante, se os participantes aceitarem, colocar um exemplo para cada uma das soluções de aquecimento que se estão a discutir: PRE (Piso Radiante Elétrico) VS PRH (Piso Radiante Hidráulico). Pelo lado do piso radiante elétrico posso apontar por exemplo para uma moradia com 200m2, com piso radiante em todos os compartimentos, com regulação de temperatura programável em todos os compartimentos e com 3cm de isolamento térmico de pavimento o custo aproximado de 20€-25€/m2 + IVA. Teremos assim um valor entre 4.000€+IVA e 5.000€+IVA. Quanto custará uma solução de piso radiante hidráulico com bomba de calor, isolamento térmico de pavimento incluído, regulação de temperatura em todos os compartimento para a mesma área? [/quote]

     

    E porque com bomba de calor?

    alem do pre vai instalar algum sistema para arrefecimento?

  • #69862

    Etics
    Participante

    [quote quote=69861]E porque com bomba de calor? alem do pre vai instalar algum sistema para arrefecimento?[/quote]
    Apenas com a intenção de proporcionar ao PRH a “grande” vantagem dos custos de exploração associados à bomba de calor e ao fato de também ser elétrica.

    Assim facilita a comparação já que estamos a falar na mesma fonte de energia.

    Se quiser propor outra fonte de energia (pellets) vamos ter que entrar com o poder calorifico e preço das pellets e com o rendimento da máquina. Vai complicar mais as contas…mas teremos que começar por algum lado. Só queria facilitar a quem nos lê.

  • #69863

    Vitor Hugo
    Moderador

    Ficamos entao a aguardar

  • #69865

    Etics
    Participante

    [quote quote=69860]Seria interessante, se os participantes aceitarem, colocar um exemplo para cada uma das soluções de aquecimento que se estão a discutir: PRE (Piso Radiante Elétrico) VS PRH (Piso Radiante Hidráulico).[/quote]
    Nenhum participante alinha?

    Entretanto abaixo uma pequena “brincadeira” com o custo estimado do aquecimento numa moradia com 150m2 (o nosso exemplo acima é de 200m2 mas o custo diário será semelhante) onde se climatiza com piso radiante elétrico mantendo TODA a casa com um cenário de aquecimento ajustado à teórica utilização de toda a habitação. Tomar nota que o cenário apresentado será um pior cenário já que as temperaturas interiores utilizadas não seriam garantidamente necessárias em alguns dos compartimentos em algumas horas do dia.

    Portanto, já temos o custo de instalação de uma solução de piso radiante elétrico para 200m2 (entre 4.000€-5.000€ mais IVA). Já temos o consumo diário máximo 9,21€ = 276,30€ em 30 dias.

    Falta agora termos o custo de instalação de uma solução de aquecimento por piso radiante a água com bomba de calor ou outra fonte de energia. 

    Alcançaremos assim uma ideia do tempo de amortização do investimento realizado.

     

  • #69868

    Vitor Hugo
    Moderador

    [quote quote=69861]

    Seria interessante, se os participantes aceitarem, colocar um exemplo para cada uma das soluções de aquecimento que se estão a discutir: PRE (Piso Radiante Elétrico) VS PRH (Piso Radiante Hidráulico). Pelo lado do piso radiante elétrico posso apontar por exemplo para uma moradia com 200m2, com piso radiante em todos os compartimentos, com regulação de temperatura programável em todos os compartimentos e com 3cm de isolamento térmico de pavimento o custo aproximado de 20€-25€/m2 + IVA. Teremos assim um valor entre 4.000€+IVA e 5.000€+IVA. Quanto custará uma solução de piso radiante hidráulico com bomba de calor, isolamento térmico de pavimento incluído, regulação de temperatura em todos os compartimento para a mesma área?

    E porque com bomba de calor? alem do pre vai instalar algum sistema para arrefecimento? [/quote]

    Enquanto ninguem responde ao seu repto, o que inclui especificamente este seu calculo?

    quantas divisoes?

  • #69869

    Etics
    Participante

    [quote quote=69868]Enquanto ninguem responde ao seu repto, o que inclui especificamente este seu calculo? quantas divisoes?[/quote]
    Este cálculo não pretende ser extremamente rigoroso porque só assim poderia ser num estudo térmico que admito beneficiaria os valores apresentados nomeadamente devido ao ganhos solares no entanto, pretende apenas servir de orientador de qual poderá ser um pior cenário de custos de exploração para um piso radiante elétrico e entender que se o cliente optar por um piso radiante a água, quanto tempo demorará a amortizar o seu investimento.

    O cálculo apresentado incide sobre um “espaço” com cerca de 150m2, com algumas janelas e com as características da envolvente indicadas no quadro. Poderiam ser melhores as características, mas mais uma vez a ideia é servir de referência.

  • #69870

    Vitor Hugo
    Moderador

    O que nao entendi foi qual o numero de divisões (termostatos instalados) e se apenas contempla o material ou também a instalação.

  • #69874

    Etics
    Participante

    [quote quote=69870]O que nao entendi foi qual o numero de divisões (termostatos instalados) e se apenas contempla o material ou também a instalação.[/quote]
    Um exemplo de uma planta abaixo.

    Os preços apresentados já incluem instalação.

    PLANTA

    CUSTO MATERIAIS COM INSTALAÇÃO

    Nota importante: não está considerado isolamento térmico de pavimento.

    CONSUMO ESPERADO para este exemplo de 162,50m2.

    Nota importante: não se tratando de um estudo térmico pretende-se apenas dar uma ideia de custos de exploração para o exemplo de forma a perceber qual será o período de amortização para as soluções comparadas.

    Aguarda-se os custos de materiais/equipamentos com aplicação para as propostas a comparar!

  • #69878

    Vitor Hugo
    Moderador

     

    Como não está contemplado o xps, poder-se-á usar a ficha de rendimento:

     

    Ficha de rendimento – Isolamento térmico Floormate 200 com 30mm

  • #69881

    Etics
    Participante

    [quote quote=69878]Como não está contemplado o xps, poder-se-á usar a ficha de rendimento:[/quote]
    Ok

    Vamos aguardar pelos preços dos equipamentos.

  • #69894

    Jorge Alves
    Participante

    vamos a ver 1 ou 2 particularidades do Piso Radiante Hidraulico:
    actualmente já pode fazer arrefecimento e permite usar mais eficientemente as fontes renováveis como seja o solar térmico, mas para comparar em circunstancias iguais vamos limitar este estudo somente á opção aquecimento com 2 fontes térmicas das mais usadas no nosso pais: uma caldeira de condensação a gás propano e um recuperador de calor a lenha com os respectivos custos de aquisição e de uso e noutro post analisar-se-a algumas outras possibilidades interessantes deste sistema,

    caso em apreço:
    -moradia isolada com 162.5m2,
    -sistema PRH Schluter Bekotec Therm de baixo perfil, ligado com uma caldeira de condensação Daikin EKMOBG22, 6 termostatos locais de controle e crono-termostacto central a controlar a caldeira,

    custo de aquisição PRH com aplicação e IVA: 6445€
    custo da caldeira com instalação e IVA: 2250€
    total: 8695€

    custo diário de gás: 2.8€

    opção com recuperador de lenha inserivél Aquaflam HS 14, deposito de inercia 300 litros e controle anti-condensação, com instalação e IVA: 4360€
    total PRH+ recuperador e acessórios: 10.805€
    custo mensal em lenha de azinho e sobro: 1 ton=170€ (custo médio)

    PS: o sistema é com a placa base que já tem 2cm de isolamento em EPS200

  • #69896

    Jorge Alves
    Participante

    agora uma das muitas possibilidades:

    o sr João fez uma casinha e nas imediações existem fontes termais com agua quente sendo que uma delas está junto ao seu terreno, bastou ligar um tubo e instalar um permutador para ter aquecimento gratuito.

    uns metros ao lado tem um poço com agua a 15ºC durante todo o ano que aproveitou para circular pelo PRH fazendo arrefecimento mais uma vez de forma gratuita.

  • #69898

    Jorge Alves
    Participante

    o Zé que não está para ter trabalho com lenha nem se quer chatear com nada resolveu optar por uma bomba de calor fazendo aquecimento e arrefecimento custando 4850€ (perfazendo um total de 11.295€) com consumos de energia eléctrica médios diários de 2,2€

  • #69901

    Etics
    Participante

    O cálculo de custo que acima apresentei estava mal totalizado.

    Assim teremos:

    Usando os valores que o Jorge Alves gentilmente apresentou teremos:

    Piso radiante elétrico com 11 termóstatos programáveis:

    • 3.633€ já com IVA e 3cm de isolamento.
    • Custo mensal: 117,31€ | 5 meses de Aquecimento: 586,55€

    Piso radiante a água, caldeira a gás, com 6 termóstatos e 1 central programável: 

    • 8.695€ já com IVA e 2cm de isolamento.
    • Custo mensal: 84,00€ | 5 meses de aquecimento: 420,00€
    • Tempo de amortização: 30 anos

    Piso radiante a água, recuperador a lenha, com 6 termóstatos e 1 central programável: 

    • 10.805€ já com IVA e 2cm de isolamento.
    • Custo mensal: 170,00€ | 5 meses de aquecimento: 850,00€
    • Tempo de amortização: –

    Piso radiante a água, bomba de calor, com 6 termóstatos e 1 central programável: 

    • 11.295€ já com IVA e 2cm de isolamento.
    • Custo mensal: 66,00€ | 5 meses de aquecimento: 330,00€
    • Tempo de amortização: 29 anos
  • #69903

    Jorge Alves
    Participante

    [quote quote=69901]Piso radiante a água, caldeira a gás, com 6 termóstatos e 1 central programável: 
    8.695€ já com IVA e 2cm de isolamento.
    Custo mensal: 84,00€ | 5 meses de aquecimento: 420,00€
    Tempo de amortização: 30 anos
    Piso radiante a água, recuperador a lenha, com 6 termóstatos e 1 central programável: 
    10.805€ já com IVA e 2cm de isolamento.
    Custo mensal: 170,00€ | 5 meses de aquecimento: 850,00€
    Tempo de amortização: –
    Piso radiante a água, bomba de calor, com 6 termóstatos e 1 central programável: 
    11.295€ já com IVA e 2cm de isolamento.
    Custo mensal: 66,00€ | 5 meses de aquecimento: 330,00€
    Tempo de amortização: 29 anos[/quote]
    em todas estas soluções está contabilizado um uso de aprox 20% de energia para as AQS, pelo que deverá ser descontado pois na solução PRE esta opção não existe, nos sistemas hidráulicos a inercia do sistema é uma agravante inicial mas permite uma resposta muito linear e doseada no tempo não sendo compatíveis com o uso esporádico do PRE, mas se forem considerados usos idênticos aos apresentados pela simulação do PRE (leia-se energia produzida em Kwh) os custos primários do PRH baixam a pique.

    Intencionalmente não coloquei dados académicos mas sim dados reais de instalações em serviço algumas delas já com largos anos de operação, pois estaria deliberadamente a falsear a resposta quando tenho elementos que demonstram outra realidade,

    O comum português que deseja acima de tudo conforto prefere aumentar um pouco mais o investimento inicial, mas saber que os custos mensais são sempre reduzidos sem surpresas desagradáveis que inviabilizam a funcionalidade do sistema, pois num situação de credito á habitação a diferença são uns míseros €uros a mais por mês mas sempre com conforto térmico inigualável.

    No entanto todas as soluções apresentadas são soluções viáveis e satisfatórias desde que geridas com mestria e conhecimento de causa, pois cada uma tem as suas particularidades com os defeitos e virtudes inerentes, na pratica em ambas as soluções existem relatos de consumos absurdos habitualmente por más instalações e erros de operação.

  • #69925

    Etics
    Participante

    [quote quote=69903]nos sistemas hidráulicos a inercia do sistema é uma agravante inicial mas permite uma resposta muito linear e doseada no tempo não sendo compatíveis com o uso esporádico do PRE[/quote]
    O PRE também tem inércia inicial.

    O PRE tanto pode ser usando na “versão” uso esporádico e aqui deveríamos estar a falar em aquecimento direto (aquecimento imediatamente por baixo do acabamento – ex: hotéis) como na versão de semi-acumulação (com 3-4cm de betonilha por cima dos cabos de aquecimento).

    [quote quote=69903]mas se forem considerados usos idênticos aos apresentados pela simulação do PRE (leia-se energia produzida em Kwh) os custos primários do PRH baixam a pique.[/quote]

    Sim? Porquê?

    [quote quote=69903]O comum português que deseja acima de tudo conforto prefere aumentar um pouco mais o investimento inicial, mas saber que os custos mensais são sempre reduzidos sem surpresas desagradáveis que inviabilizam a funcionalidade do sistema, pois num situação de credito á habitação a diferença são uns míseros €uros a mais por mês mas sempre com conforto térmico inigualável.[/quote]

    Se quem instala PRE executar a instalação devidamente e informar o cliente com a verdade não existem surpresas. No caso do PRH podem sim, surgir surpresas de avarias, que raramente acontecem em PRE.

    Uns míseros euros Jorge? Comparando a “sua” versão mais económica são apenas 5.000€; na “sua” versão mais cara são apenas 7.500€. Que se os gastar num sistema de aquecimento não os pode gastar em outra especialidade.

    [quote quote=69903]No entanto todas as soluções apresentadas são soluções viáveis e satisfatórias desde que geridas com mestria e conhecimento de causa, pois cada uma tem as suas particularidades com os defeitos e virtudes inerentes, na pratica em ambas as soluções existem relatos de consumos absurdos habitualmente por más instalações e erros de operação.[/quote]
    Concordo em absoluto. O cliente deve ter noção dos custos envolvidos e decidir.

  • #69926

    Vitor Hugo
    Moderador

    Sr Jorge Alves uma dúvida:

     

    se o uso da caldeira que irá para aquecimento será de apenas 80%, deveriam ser imputados apenas esses valores na aquisição da caldeira, não?

  • #69927

    Vitor Hugo
    Moderador

    <p style=”text-align: left;”>Caro Etics:</p>
    No seu último comentário abordou a possibilidade de aplicar 2 a 3 cm de betonilha sobre o xps.

    Não existem requisitos normativos quanto à espessura da betonilha sobre placas isolantes?

     

    já agora, também fiquei curioso quanto às avarias que fala nos sistemas de prh. Pode enumerar quais são ?

  • #69939

    Etics
    Participante

    [quote quote=69927]No seu último comentário abordou a possibilidade de aplicar 2 a 3 cm de betonilha sobre o xps. Não existem requisitos normativos quanto à espessura da betonilha sobre placas isolantes?[/quote]
    [quote quote=69925]versão de semi-acumulação (com 3-4cm de betonilha por cima dos cabos de aquecimento).[/quote]
    Não falei em 2cm mas conheço casos onde foram aplicados 2cm…a questão da betonilha sobre o isolamento é pertinente em relação ao tipo de tráfego existente no pavimento: uma situação é um pavimento de um quarto…outra situação é um pavimento de uma garagem sujeito ao peso por exemplo de um carro. Ainda de ponderar o tipo de acabamento final já que existem acabamentos que “puxam” mais pelas betonilhas, como por exemplo um soalho colado…onde nesta situação me parece que o mínimo seriam 4cm de espessura de betonilha.

    Pela minha experiência diria que em pavimentos “domésticos” 3cm de betonilha sobre as placas de isolamento.

    [quote quote=69927]já agora, também fiquei curioso quanto às avarias que fala nos sistemas de prh. Pode enumerar quais são ?[/quote]
    Uma caldeira pode avariar. Certo?

    Uma bomba circuladora pode avariar. Certo?

    Poderia ainda referir a manutenção que um PRH terá que ter para manter o seu desempenho.

    Mas nestes pontos que se pronunciem os peritos em PRH 🙂

Tem de iniciar sessão para responder a este tópico.