Terraços e Cerâmica, Impermeabilizar mas sem problemas…

Orçamentos na construção civil Fóruns Produtos e sistemas Terraços e Cerâmica, Impermeabilizar mas sem problemas…

Este tópico contém 22 respostas, tem 3 utilizadores, com a última actualização feita por  Schluter Portugal Há 5 meses, 2 semanas.

  • Autor
    Artigos
  • #59745

    Schluter Portugal
    Participante

    Uma das grandes questões da construção, reside em colocar cerâmica em zonas impermeabilizadas, pois as soluções convencionais de mercado, requerem sobre a impermeabilização uma camada de distribuição de carga e com capacidade de aderência.

    Ou seja, sobre a camada de impermeabilização, temos uma betonilha com o mínimo de 45mm de espessura, mas esta está sujeita a vários factores patológicos:

    1- Retração : Durante 28 dias, esta betonilha vai perder água, e consequentemente volume, cerca de 0,5% do seu volume.
    Automáticamente requer que a cerâmica ou a pedra natural, apenas possam ser aplicadas após estes 28 dias.

    2-Tracção: A evaporação da água nunca será de uma forma uniforme, ou seja primeiro irá evaporar na zona superficial e posteriormente nas camadas inferiores, que irão humedecer a zona superficial. Estes fluxos irão provocar tracções na própria argamassa e que podem ditar o seu arqueamento. Estando a cerâmica já aplicada, existem forças antagónicas e contrárias.

    3. Dilatação Térmica Linear : A alteração de temperatura faz com que a betonilha sofra movimentos distintos dos da cerâmica ou da pedra natural.
    Se um porcelânico ou o granito dilatam 0,04mm/m2, a betonilha dilata 0,12mm/m2, ou seja o triplo.
    E temos que pensar que estes movimentos não são simultâneos, por exemplo em Agosto com o aumento da temperatura, primeiro dilata o acabamento e o calor deste irá condicionar a dilatação térmica do suporte.

    Perante estes três factores, existe uma forma muito simples de corrigir e evitar a patologia: CRIAÇÃO de JUNTAS de FRACCIONAMENTO E PERIMETRAIS.

    Mas…ainda existem outros condicionantes:

    4. Vapor de água: Mesmo esperando os 28 dias de cura da argamassa, esta atinge 0,5% de humidade residual, e esta terá que evaporar. A sua evaporação irá encontar a cerâmica que funciona como barreira e potencia o vapor a liquidificar (e quanto maior o tamanho da peça pior), humedecendo o suporte e retirando propriedades ao adesivo de colagem.
    Agora temos que analisar este fenómeno sempre que chove….

    5. Gelo/Degelo: Muitas pessoas já passaram pela terrível experiência de se esquecerem de uma garrafa de vidro no congelador! Resultado…garrafa partida e perda total do líquido! Simples o líquido congela e aumenta de volume.
    O mesmo acontece sempre que com o suporte húmido ou molhado, a água que se encontra nos poros, aumenta de volume e danifica consideravelmente a betonilha, aumentando o tamanho do poro…
    E depois temos a evaporação com as eflorescências.

    Conclusão:
    Que funções deverá ter o material a aplicar sob a cerâmica ou pedra natural:

    D esacoplamento: Capacidade de absorver tensões entre os materiais.
    I mpermeabilização: Capacidade de proteger o suporte da água
    T ransmissão da Pressão do Vapor: Capacidade em difundir a pressão do vapor.
    R epartição de Cargas: Capacidade de absorver cargas pontuais e repartir por toda a base
    A bsorção de Dilatações: Capacidade de Absorver as diferentes dilatações entre os materiais.

    Resumindo: Schlüter DITRA

  • #59764

    Schluter Portugal
    Participante

    Vídeos de instalação:

  • #59765

    Schluter Portugal
    Participante

    Algumas aplicações:

  • #61662

    Schluter Portugal
    Participante

    Obra na Zona de Aveiro:

  • #61667

    Schluter Portugal
    Participante

    Da mesma obra:

  • #61674

    two-rok
    Participante

    Já tenho saudades da Ditra, pá…

  • #61769

    Vitor Hugo
    Moderador

    [quote=61674]Já tenho saudades da Ditra, pá…

    [/quote]

    Mas já instalou?
    Tem fotos a documentar?

    E já agora, tratando-se este forum de preços, qual o custo por m2?

    Obrigada.

  • #61777

    Schluter Portugal
    Participante

    Intervenção / Reabilitação Bairro Alto – Lisboa

  • #61782

    Schluter Portugal
    Participante

    Aplicação da Banda Schluter Kerdi-Keba com Schluter Kerdi-Coll

  • #61785

    Schluter Portugal
    Participante

    Aplicação da Peça de Escoamento Schluter Kerdi-Drain e Remates

  • #61790

    Schluter Portugal
    Participante

    Elevações perimetrais com Schluter Kerdi-Keba colada com Schluter Kerdi – Coll

  • #61792

    Schluter Portugal
    Participante

    Teste de estanquicidade:

  • #61804

    Vitor Hugo
    Moderador

    E quais os custos m2 desta solução?

  • #61825

    Schluter Portugal
    Participante

    Para ter uma ideia de custos, pode ver o levantamento das necessidades aqui:

  • #61829

    Vitor Hugo
    Moderador

    Tem a ideia do rendimento da mão de obra para executar esse terraço?

  • #61865

    Schluter Portugal
    Participante

    [quote=61829]Tem a ideia do rendimento da mão de obra para executar esse terraço?

    [/quote]

    Garantidamente uma equipa de 2 homens, impermeabilizam um terraço de 90m2 num dia, e pronto a aplicar cerâmica.

  • #62649

    Schluter Portugal
    Participante

    Pormenores e Remates Importantes:

    Quanto a estes remates há a destacar os seguintes:

    Construção da Betonilha:

    Muito importante em todas as construções no exterior para posteriormente serem revestidas a cerâmica, pedra natural ou outro elemento aderido, é a betonilha de suporte e de distribuição de cargas.
    Neste caso específico, como esta betonilha está devidamente impermeabilizada através da lâmina de impermeabilização e desacoplamento Schluter – Ditra, apenas devem ser tidos em conta os seguintes aspectos:
    A betonilha sempre que seja construída sobre um elemento térmico – acústico, como xps, lã mineral, eps, cortiça, etc, que impeça a sua aderência à laje, tem que ser considerada como betonilha flutuante (não aderida) como tal devem respeitar aspectos muito importantes, como:
    – Capacidade de distribuição de carga, a espessura deverá ser de acordo com a carga esperada, sendo de acordo com os requisitos normativos no mínimo de 45mm;
    – Capacidade de anular dilatações ou retrações, ou seja, aspecto muito importante, esta betonilha deverá estar afastada dos elementos verticais através de uma espuma tipo: Schlüter-BEKOTEC-BRS (http://www.schluter.pt/schluter-bekotec-sintese-de-produtos.aspx) e estar devidamente fraccionada de acordo com os requisitos normativos;
    – Ter um pendente para a zona de escoamento com o mínimo de 1,5% a 2%

    Peças de Escoamento:
    Para garantir a ligação entre a impermeabilização e o escoamento deve-se garantir a utilização de produtos do sistema, seja em peças de pingadeira seja em peças de escoamento vertical ou horizontal.
    No caso de peças de pingadeira a Schluter oferece a gama Schluter Bara, perfis em alumínio lacado a poliuretano, que funcionam como pingadeiras para evitar o tão inestectico “babado” das fachadas.
    http://www.schluter.pt/perfis-de-parapeito.aspx

    Caso existam muretes, nesse caso deverá recorrer a peças de escoamento vertical (http://www.schluter.pt/schluter-kerdi-drain.aspx) ou peças de escoamento horizontal (http://www.schluter.pt/schluter-kerdi-drain-sp-e.aspx)

    remates a soleiras

    Outro aspecto a ter em consideração, são os remates a soleiras. Embora não seja normalizado, em Portugal, na maioria das construções recorre-se à utilização de pedra natural ou de cerâmica para a construção das soleiras. Não sendo estas completamente estanques, sendo necessário criar juntas, ou criando-se estas por si através de fissuração, é imprescindível a impermeabilização antes da aplicação da pedra natural, ou de outro material de soleira.
    A Schluter recomenda a aplicação da lâmina Schluter Kerdi, pois esta é compatível com o sistema Schluter Ditra, assegurando uma impermeabilização garantida entre todos os seus elementos.

    Alguns exemplos.

  • #63133

    Schluter Portugal
    Participante

    Fotos de Remate à Pingadeira:

  • #63143

    Schluter Portugal
    Participante

    Remates à soleira, saídas de água e a clarabóia.

  • #67492

    Schluter Portugal
    Participante

    Mais uns pormenores de execução:

     

     

  • #68826

    Schluter Portugal
    Participante

    Nesta situação específica, de mais uma reabilitação, o dono de obra, além das patologias habituais de infiltração devidas a um método de impermeabilização com pouca capidade de absorção de fissuras e de movimentos, também tinha manifestas necessidades de isolamento térmico.

     

    A opção passou pela aplicação das placas de construção e de isolamento térmico Schlüter Kerdi-Board de 28mm, e aplicação posterior do sistema de impermeabilização, desacoplamento, distribuição de carga e compensação da pressão de vapor Schlüter Ditra 25.

    De realçar que este processo foi efectuado directamente sobre a cerâmica existente, sem necessidade de trabalhos de manuseamento para vazadouros próprios, assim como a construção de betonilhas suplementares.

     

  • #68899

    Schluter Portugal
    Participante

    Mais um exemplo de uma instalação:

     

    [attachment file=68900]
    aplicação da Lâmina Schlüter – Ditra através de cimento cola adequado

    [attachment file=68901]
    aplicação das bandas de junta Schlüter Kerdi Keba através da cola vedante Schlüter Kerdi – Coll

    [attachment file=68902]
    aplicação de cimento cola para protecção mecânica, até à aplicação da cerâmica

    [attachment file=68903]
    aplicação de cerâmica com cimento cola de acordo com a cerâmica

  • #70446

    Schluter Portugal
    Participante

    Uma das condicionantes das intervenções de impermeabilização com as condições climatéricas actuais, é a humidade residual do suporte!

    Com Schlüter-Ditra, além da capacidade de desacoplamento, distribuição das cargas pontuais, neutralização de fissuras e impermeabilização, graças à sua capacidade de compensação da pressão do vapor, é possível aplicar cerâmica sobre suportes húmidos e/ou molhados não comprometendo nem a aplicação e durabilidade da cerâmica e pedra natural, nem a própria impermeabilização com o tempo mínimo de 25 anos ( http://www.schluter.pt/media/DoP5-13-002PT_Schlueter-DITRA.pdf ).

     

    Mais trabalhos em:

    https://www.facebook.com/Schluter-Portugal-402660866591524/

Tem de iniciar sessão para responder a este tópico.