Critérios de medição – Trabalhos preparatórios

30/09/2016 | Biblioteca - Critérios de medição

4 – Trabalhos preparatórios

4.1 – Regras gerais

As informações relativas à planimetria e altimetria e os resultados do reconhecimento ou da prospecção geotécnica do terreno, que são indicados no projecto, serão referidos nas medições.

As informações sobre a existência de redes de distribuição – água, esgotos, gás, electricidade, etc. – ou quaisquer outros obstáculos à realização dos trabalhos serão apresentadas no enunciado das medições.

As medidas para a determinação das medições serão obtidas a partir das formas geométricas indicadas no projecto e sem consideração de empolamentos.

4.2 – Desvio de obstáculos

  1. Regra geral, os trabalhos de desvio de qualquer obstáculo à execução da obra serão medidos à unidade (un), com indicação resumida da natureza desses trabalhos.
  2. A medição do desvio de canalizações e de cabos enterrados será feita medindo separadamente o movimento de terras necessário, segundo as regras enunciadas em Movimento de terras para canalizações e cabos enterrados, e a remoção e reposição das canalizações e dos cabos, pelos mesmos critérios relativos à sua montagem.

4.3 – Protecções

  1. A medição será realizada à unidade (un).
  2. A medição engloba todas as operações e materiais necessários para assegurar a protecção de qualquer construção ou vegetação existente no local da obra e que não deva ser afectada durante a execução dos trabalhos.

4.4 – Drenagens

  1. A medição da drenagem de qualquer lençol de água superficial será realizada em m2 de superfície do terreno a drenar, medida em planta.
  2. A medição engloba todas as operações necessárias à execução das drenagens.
  3. A drenagem de águas freáticas a executar, aquando da realização de movimento de terras, será incluída na medição destes trabalhos.

4.5 – Desmatação

  1. A medição será realizada em m2;
  2. A medição refere-se à desmatação de arbustos, sebes ou árvores com menos de 0,10 m de diâmetro, determinado à altura de 1,20 m do solo (diâmetro à altura do peito DAP)
  3. A medição será efectuada segundo as áreas determinadas em projecção horizontal.
  4. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos de desmatação, nomeadamente: abate, empilhamento, carga, transporte, remoção e descarga
  5. Sempre que necessário, as operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias.
  6. As medições indicarão, sempre que possível, o local de depósito ou vazadouro dos produtos da desmatação

4.6 – Abate ou derrube de árvores

  1. A medição será realizada à unidade (un).
  2. A medição refere-se ao abate ou derrube de árvores com mais de 0,10 m de diâmetro, determinado à altura de 1,20 m do solo (diâmetro à altura do peito – DAP) e inclui o arranque de raízes
  3. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos de abate ou derrube, designadamente: abate, desponta, descasque, operação de torar, empilhamento, transporte, remoção ou descarga.
  4. Sempre que necessário, as operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias.
  5. As medições indicarão, sempre que possível, o local de depósito ou vazadouro dos produtos do abate ou derrube de árvores.

4.7 – Desenraizamentos

  1. A medição será realizada à unidade (un).
  2. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos de desenraizamento nomeadamente: arranque de raízes empilhamento, carga, transporte, remoção, descarga, e os trabalhos a realizar com a sua eliminação, quando necessária.
  3. Sempre que necessário, as operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias.
  4. As medições indicarão, sempre que possível, o local de depósito ou vazadouro dos produtos de desenraizamentos.

4.8 – Arranque e conservação de leivas (placas de relva)

  1. A medição será realizada em m2
  2. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos de arranque e conservação de leivas, nomeadamente: arranque, empilhamento, carga, transporte, depósito e conservação.
  3. Sempre que necessário, as operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias.
  4. As medições indicarão, sempre que possível, o local de depósito das leivas, e os métodos de depósito e conservação.
  5. A medição do arranque de leivas unicamente para remoção, será incluída no subcapítulo Decapagem ou remoção de terra vegetal do capítulo Movimento de terras