As fichas de rendimento apresentadas nestas páginas, são as nossas fichas de rendimento e apenas isso. Não são fichas de rendimentos oficiais nem pretendem ser fichas de rendimento de referência.

Usem-nas como critério sem nunca se esquecerem que a maior dificuldade na elaboração de um orçamento é a avaliação das condições de execução da obra. O preço para pintar 1 m2 de parede não é sempre igual. Pintar um apartamento mobilado é completamente diferente de pintar um armazém vazio

A utilização é da inteira responsabilidade de quem as utilizar.

Últimas fichas de rendimento publicadas

Modelo da ficha de rendimento

As fichas são compostas pelas seguintes 4 zonas:

Novo modelo de fichas

Desde Março de 2015, está a ser um publicado um novo modelo de ficha, o qual é consistido por 4 zonas. Quem têm acesso à área reservada, pode fazer o download destas fichas em Excel ou visualizar no Google Drive.

Estas fichas são construídas no software de orçamentação Candy / CCS, exportados 3 ficheiros com o articulado, fichas de rendimentos e lista de recursos, os quais são colocados num ficheiro Excel. Devido ao tamanho de cada um e à complexidade das fórmulas, optou-se por criar um ficheiro por cada tipo de trabalho.

Área pública / área reservada

Em cada ficha de rendimento publicada desde Março de 2015, existem 2 zonas. A zona de acesso livre e a área reservada.

A principal diferença entre elas, é que na zona pública os preços dos materiais são preços de tabela de venda ao público (PVP), enquanto na área reservada, os preços dos materiais têm descontos “médios”.

Esta opção deve-se ao facto já por várias vezes, pessoas entrarem em contacto com as marcas e quererem o desconto que estava indicado nas fichas.

Zona 1 – Mapa de trabalhos

Descrição do trabalho, quantidade a executar, preço de venda e valor do trabalho

Ficha de rendimento Zona 1

Zona 2 – Preços para os diversos tipos de obra

Variações dos rendimentos e preços de acordo com a dimensão da obra. Note-se quem em vez da dimensão, esta grelha também se pode aplicar aos diferentes graus de dificuldade da obra.

Fixha de rendimento Zona 2

Os rendimentos da mão-de-obra, são e serão sempre, o grande problema na elaboração das fichas de rendimentos, porque dependem (entre outros) de:

  • Dimensão da obra;
  • Qualidade das chefias;
  • Qualidade do projecto;
  • Dono de obra;
  • Fiscalização;
  • Condições atmosféricas;
  • Fornecedores;
  • Condições de acesso.

 

Basta um destes pontos ser diferente do habitual (e se fosse só um) e os rendimentos de mão-de-obra alteram-se todos.

De forma a minimizar este problema, de cada ficha, estão preços e rendimentos corrigidos para 4 condições particulares da obra (más, medianas, boas e óptimas) que consideramos abranger a grande maioria das situações mais comuns.

No entanto, como muitas pessoas entendem que a sua obra têm sempre condições excelentes, substituíram-se os nomes (más, medianas, boas e óptimas) por quantidades, mas o objectivo é o mesmo.

 

Zona 3 – Correções da ficha

Ficha de rendimento Zona 3

Esta zona está dividida em 2, a correcção dos preços  e o painel de controle.

O painel de controle é uma zona onde se escolhe a qual a ficha a apresentar. Normalmente não é alterada.

A zona da correcção de preços, é uma zona onde podemos fazer afinações aos preços apenas nesta ficha. Como a ficha têm fórmulas complexas e para evitar estar a mexer nelas, podemos efectuar as seguintes alterações:

  • Correcção global em % – Altera os preços unitários da mão-de-obra, materiais e equipamentos;
  • Correcção da MO em % – Altera os rendimentos da mão-de-obra;
  • Considerar descontos: São ou não, considerados os descontos dos materiais;
  • Tipo de obra – Por defeito, as fichas são para o tipo 2 (quantidades de 25 a 100m2). Pode-se alterar aqui.subir ou descer os rendimentos da mão de obra assim como podemos fazer subir ou descer o valor global da ficha

Zona 4 – Composição da ficha

Ficha de rendimento Zona 4

Mão-de-Obra

Cálculo do valor da mão de obra

O valor da mão de obra é outro daqueles valores que supostamente é simples de obter, basta perguntar ao recursos humanos. Pois é, mas a verdade é que nunca consegui uma resposta.

Como estes valores são os valores mais pessoais que uma empresa pode ter, optou-se por criar um ficheiro onde se colocaram os diversos custos que uma empresa pode ter com a sua mão de obra.

Esta tabela faz parte dos ficheiros com as fichas de rendimento, pelo que quem tiver acesso à área reservada pode fazer as alterações que entender e isso irá reflectir-se automaticamente nos valores das fichas de rendimento.

 

 

Cálculo da mão de obra 2015

Materiais

Marcas

Na elaboração do fichas de rendimento.são utilizados produtos com a identificação da marca. Os critérios que presidiram à escolha da marca são simples: Conhecemos os produtos dessa marca melhor que os produtos de outra.

No entanto, esta opção é complicada, já que há quem defenda que a identificação deve ser genérica, de forma a não beneficiar uma marca. Sendo correcto do ponto de vista da concorrência, do ponto de vista do orçamentista, isso cria uma indefinição muito grande.

O que fazemos quando nos pedem “Alumínio tipo Technal”? Consideramos o quê, se temos alumínios desde os 150€/m2 até aos 700€/m2 ?

Descontos

Na área reservada, foram considerados os descontos típicos, aqueles que sabemos que as empresas fazem por defeito. No entanto, mesmo estes devem ser verificados por que utilizas as fichas.

Preços

Confirmem os preços porque podem acontecer alterações às tabelas de preços sem aviso prévio. Além disso, não é possível manter actualizada ao dia, uma base de dados com 100.000 produtos. Muitas vezes só são corrigidos quando precisamos deles.

Listagem de recursos

Listagem de recursos

Nos ficheiros em Excel com as fichas de rendimentos, existe uma folha onde estão os materiais utilizados nas fichas, com os preços de tabela, descontos e preços finais. onde é possível alterar, quer os preços de tabela, quer os descontos considerar

 

Equipamentos

Na grande maioria dos casos, o equipamento e as ferramentas têm o mesmo rendimento da mão-de-obra, porque apesar de estarem em utilização ou não, estão lá e não os posso utilizar em mais lado nenhum.

Note-se que o preço hora do equipamento, já contempla uma percentagem de tempo parado e em utilização.