Procedimentos de segurança – Carpintaria de limpos

01/08/2012 | Biblioteca - Procedimentos segurança








Perigos mais frequentes

  • Queda de pessoas a nível diferente
  • Queda de pessoas ao mesmo nível
  • Queda de objectos por desabamento ou desmoronamento
  • Queda de objectos desprendidos
  • Marcha sobre objectos
  • Choque contra objectos imóveis
  • Pancadas e cortes por objectos ou ferramentas
  • Projecção de fragmentos ou partículas
  • Entaladela ou esmagamento
  • Sobre-esforços ou posturas inadequadas
  • Contactos eléctricos
  • Exposição ao ruído
  • Exposição a vibrações
  • Exposição a substâncias nocivas ou tóxicas
  • Incêndios

Causas principais

  • Retirar protecções às máquinas;
  • Armazenamento de tábuas e painéis com pregos salientes
  • Utilização de ferramentas em mau estado de conservação
  • Utilização de andaimes ou bancadas improvisados ou indevidamente montados
  • Não delimitar e sinalizar a zona de trabalhos;
  • Não utilizar os EPI(s) necessários, nomeadamente, contra quedas em altura
  • Trabalhadores sem formação e desconhecimento dos riscos

Medidas de prevenção aconselhadas

  • Os aros, pré-aros e ripas de guarnição, devem ser armazenados em local acessível, sem interferir com as zonas de passagem
  • O armazenamento deve ser organizado por dimensões, as peças devem ser correctamente alinhadas e, a altura das pilhas não deve colocar em causa a sua estabilidade
  • As bancadas devem ter dimensões que permitam urna correcta estabilização das tábuas, especialmente nas tarefas de corte e, uma altura entre os 75 e os 90 em
  • Os espaços de circulação e operação junto às máquinas devem manter-se desobstruídos, arrumados e limpos de serradura e desperdícios
  • As folhas de corte das serras e serrotes devem ser inspeccionadas antes de se iniciar qualquer trabalho verificando se estão em bom estado de conservação e se são adequadas ao material a cortar
  • Quando se proceder ao corte de madeira molhada ou com nós, deve-se ter em atenção a resistência ao avanço, desvios e possíveis projecções de materiais devidas à prisão do disco
  • Quando se proceder ao corte de aglomerado de madeira com resina, deve-se apertá-la com maior firmeza pois a aderência ao disco tende a fazer rodar a peça
  • Deve-se fixar correctamente os discos das serras e não utilizar discos excessivamente gastos, desequilibrados ou de diâmetro diferente do indicado pelo fabricante
  • Deve-se verificar a ausência de corpos metálicos, nós duros ou outros defeitos nas peças de madeira
  • Os desperdícios e serraduras devem ser acondicionados em local apropriado e semanalmente, devem ser evacuados para o exterior
  • As colas e vernizes devem ser armazenados em local fechado e ventilado, deve ser colocado um extintor de pó químico polivalente de 12 kg junto da entrada, assim como, sinalização de «perigo de incêndio» e «proibido fumar ou foguear»
  • O estaleiro e o armazém das madeiras devem ficar afastados de fontes de calor e de outros materiais combustíveis
  • As zonas de trabalho devem ter uma iluminação mínima de 100 lux, medida a uma altura de dois metros do solo e que não provoque encandeamento
  • As tábuas e ripas devem ser transportadas ao ombro por um mínimo de dois trabalhadores. Se tal não for possível, a frente deve estar a uma altura superior ao capacete do trabalhador que as transporta, de forma a evitar ferimentos na cara dos colegas
  • A montagem de aros de portas e janelas deve ser efectuado por um mínimo de dois trabalhadores
  • As escoras horizontais (para evitar deformações) devem ser colocadas a 60cm de altura e sinalizadas com um pedaço de fita plástica vermelha e branca.
Procedimentos de segurança e gestão de obra

Procedimentos partilhados por:

InObra – Fiscalização e Gestão de Obras
Rua Vale da Vermelha nº 57 – Albergaria-a-Velha
Tel: 234 522 062 / 964 595 531