Procedimentos de segurança – Pinturas e envernizamentos

14/09/2012 | Biblioteca - Procedimentos segurança








Perigos mais frequentes

  • Queda de pessoas a nível diferente
  • Queda de pessoas ao mesmo nível
  • Queda de objectos desprendidos
  • Marcha sobre objectos
  • Choque contra objectos imóveis
  • Pancadas e cortes por objectos ou ferramentas
  • Projecção de fragmentos ou partículas
  • Entaladela ou esmagamento
  • Sobre-esforços ou posturas inadequadas
  • Contactos eléctricos
  • Incêndios
  • Exposição ao ruído
  • Exposição a vibrações
  • Exposição a substâncias nocivas ou tóxicas

Causas principais

  • Desarrumação dos locais de trabalho
  • Trabalho desorganizado (atravancamento de locais de passagem…)
  • Utilização de andaimes ou bancadas improvisados ou indevidamente montados
  • Não delimitar e sinalizar a zona de trabalhos
  • Trabalhar em condições atmosféricas adversas
  • Não utilizar os EPI(s) necessários, nomeadamente, contra quedas em altura
  • Trabalhadores sem formação e desconhecimento dos riscos

Medidas de prevenção aconselhadas

  • Antes de iniciar o trabalho, devem ser devidamente protegidos (com guarda-corpos, com estabilidade e resistência adequadas) os poços dos elevadores e tapadas as couretes
  • Durante a aplicação de tintas e/ou vernizes, deve ser criada uma corrente de ar, suficiente para renovar constantemente o ar e, evitar intoxicações
  • Na pintura à pistola, os trabalhadores devem usar equipamento de protecção das vias respiratórias
  • As plataformas de trabalho para a pintura em escadas ou rampas, devem ter superfícies de trabalho horizontais e ser ladeadas por guarda-corpos. Em escadas ou rampas deve ser rigorosamente proibido o uso de escadas ou escadotes
  • Deve ser proibido o uso de plataformas de trabalho em varandas, varandins ou terraços, sem protecção contra quedas em altura (a protecção mais adequada são as redes anti-queda)
  • Os stocks devem ser geridos de modo a só existir em obra a quantidade mínima indispensável de produtos com riscos associados
  • Devem ser rigorosamente respeitadas as instruções contidas nas fichas de segurança dos produtos
  • Deve ser rigorosamente proibido o uso como cavaletes de escadotes, caixas, latas, bidões, etc…
  • As plataformas de trabalho com altura superior a dois metros devem possuir guarda-corpos e guarda-cabeças
  • Deverá ser rigorosamente proibido fumar e foguear nos locais onde estejam a ser aplicadas tintas de base não aquosa
  • Se for necessário, as operações de transvaze ou mistura (verniz com diluente ou tinta com pigmentos, por exemplo), devem ser efectuadas em locais arejados sobre tabuleiros de retenção, lentamente e a baixa altura a fim de evitar derrame ou salpicos e junto a um extintor de pó químico polivalente de12 kg
  • Deve-se evitar (procurando uma posição de trabalho adequada) a inalação dos vapores produzidos durante a manipulação de dissolventes
  • Deve-se evitar o contacto de dissolventes com a pele, Não se devem utilizar dissolventes para lavar as mãos ou outras partes do corpo
  • Os dissolventes não devem ser utilizados em locais fechados e mal ventilados ou perto de chamas ou fontes de calor
  • Os trapos e desperdícios bem como resíduos resultantes da utilização de dissolventes devem ser depositados em recipientes fechados e estanques, Esses recipientes não devem ser deixados ao sol ou junto de fontes de calor ou chama
  • Quando se parar ou suspender o trabalho (à hora de almoço por exemplo as latas de tinta, verniz ou diluente, devem ser devidamente tapadas
Procedimentos de segurança e gestão de obra

Procedimentos partilhados por:

InObra – Fiscalização e Gestão de Obras
Rua Vale da Vermelha nº 57 – Albergaria-a-Velha
Tel: 234 522 062 / 964 595 531