Critérios de medição de argamassas

02/01/2022Critérios de medição

16.1 – Regras gerais

As medições de revestimentos serão discriminadas em:

  • Revestimentos de paramentos exteriores de paredes
    1. Revestimentos de estanquidade – podem ser constituídos por elementos descontínuos – de fixação directa ao suporte ou independentes – por ligantes hidráulicos armados e por ligantes sintéticos armados com rede de fibra de vidro
    2. Revestimentos de impermeabilização – são deste tipo os revestimentos tradicionais de ligantes hidráulicos (constituídos por crespido camada de base e camada de acabamento 1) e os revestimentos não-tradicionais de ligantes hidráulicos
    3. Revestimentos de isolante térmico – são deste tipo os sistemas de isolamento térmico por revestimento espesso sobre isolante os sistemas de isolamento térmico por revestimento delgado sobre isolante os de argamassas de ligantes hidráulicos com inertes de material isolante os sistemas de isolamento térmico por elementos descontínuos prefabricados e os sistemas de isolamento térmico obtidos por projecção ‘in situ” de isolante
    4. Revestimentos de acabamento ou decorativos – são deste tipo os de ligantes hidráulicos (tradicionais ou não-tradicionais) os revestimentos delgados de massas plásticas os delgados de ligantes mistos e também os de elementos descontínuos
  • Revestimentos de paramentos interiores de paredes
    1. Revestimentos de regularização – são deste tipo os revestimentos de ligantes hidráulicos os que têm como base o gesso (argamassas de gesso e areia esboços de gesso, cal apagada e areia pastas de gesso argamassas de gesso e inertes leves as misturas pré doseadas e os de ligantes sintéticos
    2. Revestimentos de acabamento – são deste tipo os revestimentos de ligantes hidráulicos os de cal apagada os de cal apagada e gesso os de gesso (estuques) os constituídos por produtos de cal apagada e gesso pré-doseados e os ligantes sintéticos
  • Revestimentos de piso interiores e exteriores (inclui terraços):
    1. Revestimentos executados “in situ” – são deste tipo as betonilhas, calçadas, etc.
  • Revestimentos de tectos interiores
    1. Em geral são aplicáveis as classificações dos revestimentos de paramentos interiores de paredes das presentes regras gerais e ainda os estafes e os tectos falsos por componentes
  • Revestimentos de tectos exteriores

16.2 – Revestimentos de paramentos exteriores e interiores

  • A medição será realizada em m2
  • As medições serão efectuadas separadamente, conforme as superfícies dos paramentos sejam:
    1. verticais ou inclinadas;
    2. planas ou curvas;
    3. com outras formas;
  • A determinação das medidas para a elaboração das medições, obedecerá, em geral, regras seguintes:
    1. As medidas a considerar são as das cotas de limpos das superfícies vistas.
    2. No caso de superfícies irregulares a medição será determinada a partir da área de projecção da superfície a revestir sobre a superfície de base
  • As áreas correspondentes a aberturas (vãos, passagem de condutas, etc), à intersecção de vigas e outros elementos, só serão deduzidas quando superiores a 0.25 m. As áreas dos enquadramentos dos vãos serão medidas em m em rubricas próprias, considerando os seguintes agrupamentos de larguras:
    1. larguras inferiores a 10 cm
    2. larguras superiores ou iguais a 10 cm e inferiores a 20 cm
    3. larguras superiores ou iguais a 20 cm
  • Os revestimentos das cornijas serão medidos em rubricas próprias. A medição será realizada em m ou m2 consoante for mais indicado
  • Os revestimentos dos pilares isolados, colunas, embasamentos, socos ou outras partes isoladas da obra, serão medidos em m2, em rubricas próprias
  • Os frisos, as alhetas, as molduras e outros elementos de guarnecimento serão medidos em m ou m2 o respectivo comprimento será determinado sobre a superfície de base destes elementos

16.3 – Revestimentos de pavimentos exteriores e interiores

  • A medição será realizada em m2
  • As medições serão efectuadas separadamente, de acordo com as características das superfícies:
    1. Horizontais e inclinadas;
    2. curvas;
    3. de outras formas.
  • A medição será determinada a partir das cotas de limpos das superfícies vistas incluindo as áreas correspondentes aos enxalços e aos vãos das paredes. Regra geral, devem considerar-se as áreas sob os rodapés.
  • Quando os revestimentos dos pavimentos não forem horizontais ou planos, as medições serão realizadas de acordo com as dimensões efectivas
  • As áreas correspondentes a pilares, colunas, chaminés e outros elementos ou as relativas a aberturas (para a passagem de condutas, canalizações, etc.) só serão deduz2idas quando a cada elemento ou abertura corresponder uma superfície de pavimento superior a 0.25 m2
  • Os rodapés serão discriminados em rubricas próprias com a indicação da sua secção. A medição será realizada em m. O comprimento será medido sobre o paramento em que o rodapé estiver colocado

16.4 – Revestimentos de tectos exteriores e interiores

  • A medição será realizada em m2
  • As medições serão efectuadas separadamente, de acordo com o tipo de laje, (por exemplo, maciças ou aligeiradas) e também comas características das suas superfícies, nomeadamente:
    1. horizontais ou inclinadas;
    2. curvas;
    3. de outras formas.
  • As medições serão determinadas a partir das cotas de limpo das superfícies. Os revestimentos das superfícies das vigas serão incluídos nos revestimentos de paredes ou dos tectos, conforme se situem no prolongamento das paredes ou nos tectos.
  • Quando os revestimentos de tectos não forem horizontais ou planos, as medições serão realizadas de acordo com as dimensões efectivas
  • As áreas correspondentes a pilares, colunas, chaminés e outros elementos e os relativos a aberturas (para passagens de condutas, canalizações e armaduras de instalações de iluminação, etc.) só serão deduzidas quando a cada elemento ou abertura corresponder uma superfície superior a 0.25 m2
  • As sancas, molduras e outros elementos de guarnecimento serão discriminados em rubricas próprias com indicação da sua secção. A medição será realizada em m; o comprimento será determinado sobre o paramento em que estes elementos forem executados ou colocados.
  • Os elementos de suporte dos revestimentos de tectos falsos serão, em geral, discriminados em rubricas próprias, com indicação da sua constituição e respectivos elementos. A medição será realizada em m2
  • A medição dos tectos falsos por componentes será também realizada em m2 e separada em rubricas próprias, de acordo com a constituição e as dimensões dos componentes.

Índice

Notas gerais

Estaleiro

Estrutura

Arquitectura

Arranjos exteriores

  • 27 - Pavimentos exteriores
  • 28 - Pavimentos betuminosos
  • 29 - Jardins
  • 30 - Mobiliário urbano
  • 31 - Vedações

Instalações especiais

Reabilitação

  • 37 - Reabilitação de alvenarias
  • 38 - Reabilitação de betão armado
  • 39 - Reabilitação de cantarias
  • 40 - Reabilitação de carpintarias
  • 41 - Reabilitação de serralharias
  • 42 - Reabilitação de estuques
  • 42 - Reabilitação de azulejos