Critérios de medição de betão

26/12/2021Critérios de medição

7.1 – Regras Gerais

  1. As medições serão realizadas de modo a ficarem individualizados os trabalhos de betão relativos às seguintes rubricas
    1. betão armado;
    2. betão armado pré-esforçado;
    3. outros betões, nomeadamente os betões celulares autoclavados, os de agregados leves, etc.
  2. Cada rubrica das medições será decomposta, de preferência, de acordo com as diferentes características do betão indicadas no projecto designadamente:
    1. classes de resistência e qualidade
    2. classes de exposição
    3. outras características exigidas pelo projecto, tais como máxima dimensão dos inertes, consistência, relação água ligante e outras particularidades de com posição
    4. condições de colocação
  3. As medidas para cálculo das medições serão obtidas a partir das formas geométricas indicadas no projecto. No entanto não serão deduzidos:
    1. os volumes das armaduras, ordinárias ou de pré-esforço (incluindo as bainhas);
    2. os volumes correspondentes a reentrâncias até 0,15 m de comprimento do perfil de cada reentrância e os volumes correspondentes a chanfros até 0,10 m de comprimento do respectivo perfil sem chanfro
    3. os volumes relativos a aberturas, cavidades ou furações existentes nos elementos de construção iguais ou inferiores a 0.10 m.
  4. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos de betão, nomeadamente: fornecimento e transporte de materiais, preparação, carga, transporte, colocação em obra, compactação (vibração) e cura.
  5. Sempre que necessário, as operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias.

7.2 – Betão de limpeza

  1. A medição será realizada em m2
  2. A medição indicará a espessura da camada de betão para protecção e regularização da base de fundações.
  3. Se existirem moldes laterais, a sua medição será realizada em rubrica própria e incluída em Cofragens de protecção de fundações do presente capítulo

7.3 – Sapatas e vigas de fundação

  1. A medição será realizada em m3
  2. No caso de sapatas isoladas com formas geométricas complexas a medição é efectuada por decomposição em figuras geométricas simples.
  3. Para sapatas contínuas ou vigas de fundação, o volume será obtido multiplicando a área da secção transversal de cada troço pelo respectivo comprimento.
  4. Para sapatas contínuas, cuja secção pode ser decomposta num rectângulo e num trapézio, serão de desprezar as diferenças de volume resultantes da aplicação do método indicado na alínea anterior relativamente ao seu valor real.
  5. No caso de a secção transversal das sapatas contínuas ser variável, a medição poderá ser realizada a partir da secção transversal média.

7.4 – Muros de suporte e paredes

  1. A medição será realizada em m3
  2. A determinação das medidas para cálculo das medições obedecerá às regras seguintes:
    1. Os comprimentos serão determinados segundo figuras geométricas simples.
    2. As alturas, imediatamente acima das fundações, serão as distâncias entre as faces superiores das sapatas ou vigas de fundação e o nível do tosco do primeiro pavimento como se indica
    3. No caso da secção transversal ser variável, a medição poderá ser realizada a partir da secção transversal média.

7.5 – Enrocamentos e massames

  1. A medição será realizada em m2
  2. A medição indicará as características e as espessuras das camadas de enrocamento e de massame.
  3. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos de massame, nomeadamente: preparação do solo das fundações, enrocamento e betão.
  4. Sempre que necessário as operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias, por exemplo o caso da medição da preparação do solo das fundações poderá ser incluída por exemplo nas rubricas relativas a Regularização e compactação superficial em terraplenagens ou de movimento de terras para infra-estruturas

7.6 – Paredes

  1. A medição será realizada em m3
  2. A determinação das medidas para cálculo das medições obedecerá às regras seguintes:
    1. Os comprimentos serão determinados segundo figuras geométricas simples.
    2. As alturas serão determinadas entre as faces superiores das lajes ou das vigas de betão
    3. No caso de a secção transversal ser variável, a medição poderá ser realizada a partir da secção transversal média.

7.7 – Pilares e montantes

  1. A medição será realizada em m3
  2. A determinação das medidas para o cálculo das medições obedecerá às regras seguintes:
    1. As alturas serão determinadas entre as faces superiores das lajes ou das vigas de betão;
    2. As alturas, imediatamente acima das fundações, serão as distâncias entre as faces superiores das sapatas ou vigas de fundação e o nível do tosco do primeiro pavimento;
    3. No caso da secção transversal ser variável, a medição poderá ser realizada a partir da secção transversal média

7.8 – Vigas, lintéis e cintas

  1. A medição será realizada em m3
  2. A determinação das medidas para o cálculo das medições obedecerá às regras seguintes:
    1. Os comprimentos serão determinados segundo formas geométricas simples, definidas pelas faces dos pilares ou das vigas que interceptam as vigas, lintéis ou cintas
    2. No caso de a secção transversal ser variável, a medição poderá ser realizada a partir da secção transversal média
    3. A medição dos volumes incorporados na espessura das lajes será incluída na medição do betão das vigas, lintéis e cintas.

7.9 – Lajes maciças

  1. A medição será realizada em m3
  2. A determinação das medidas para o cálculo das medições obedecerá à regra seguinte:
    1. o comprimento e a largura serão determinados entre as faces das vigas, lintéis, pilares e paredes entre as quais as lajes se inserem
    2. As alturas serão determinadas entre as faces superiores e inferiores das lajes

7.10 – Lajes aligeiradas

  1. A medição será realizada em m2.
  2. A determinação das medidas para o cálculo das medições obedecerá à regra seguinte:
    1. Os comprimentos e as larguras serão determinados entre as faces das vigas, lintéis, pilares e paredes entre os quais as lajes se inserem.
  3. As medições indicarão a espessura da laje e as suas características tipológicas.
  4. A medição das lajes aligeiradas do mesmo tipo e características será individualizada em rubrica própria.
  5. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos das lajes aligeiradas.
  6. Sempre que necessário, as operações da alínea anterior poderão ser medidas separadamente em rubricas próprias. Neste caso o assentamento do conjunto das vigotas e dos blocos seria medido em m incluindo a cofragem e o escoramento e o betão da lajeta e, as zonas maciças, segundo as regras do sub-capítulo relativo a Lajes maciças.

7.11 – Escadas

  1. A medição será realizada em m3
  2. Nesta rubrica, será incluída a medição de todos os elementos que constituem as escadas, nomeadamente patins, patamares, lanços de degraus e cortinas das guardas
  3. Sempre que necessário, os elementos da alínea anterior poderão ser separados em rubricas próprias.
  4. A determinação das medidas e das unidades para o cálculo das medições obedecerá às mesmas regras dos elementos de construção equivalentes aos das escadas.

7.12 – Escadas pré fabricadas

  • A medição será realizada em un.
  • As medições indicarão a medida do desenvolvimento da escada e as suas características tipológicas.
  • A medição dos elementos do mesmo tipo e com comprimento igual será individualizada em rubrica própria.

7.13 – Asnas pré fabricadas

  • A medição será realizada em un.
  • As medições indicarão a medida do comprimento do vão da asna e as suas características tipológicas.
  • A medição dos elementos do mesmo tipo e com comprimento igual será individualizada em rubrica própria.

7.14 – Varas e ripas

  • A medição das ripas será realizada em m2 indicando o respectivo afastamento. As varas serão medidas em m.
  • A determinação das medidas para o cálculo das medições obedecerá às regras seguintes:
    1. Os comprimentos e as larguras serão determinados segundo formas geométricas simples, definidas, sempre que possível, pelos limites de superfícies com a mesma inclinação.
    2. Os comprimentos e as larguras serão medidos segundo a superfície inclinada da cobertura.
    3. As medições indicarão as secções dos elementos.
    4. A medição dos elementos com a mesma secção será individualizada em rubrica própria.

Índice

Notas gerais

Estaleiro

Estrutura

Arquitectura

Arranjos exteriores

  • 27 - Pavimentos exteriores
  • 28 - Pavimentos betuminosos
  • 29 - Jardins
  • 30 - Mobiliário urbano
  • 31 - Vedações

Instalações especiais

Reabilitação

  • 37 - Reabilitação de alvenarias
  • 38 - Reabilitação de betão armado
  • 39 - Reabilitação de cantarias
  • 40 - Reabilitação de carpintarias
  • 41 - Reabilitação de serralharias
  • 42 - Reabilitação de estuques
  • 42 - Reabilitação de azulejos