Critérios de medição de estruturas metálicas

26/12/2021Critérios de medição

10.1 – Regras gerais

  1. As medições de estruturas metálicas serão, em regra, agrupadas em rubricas relativas à partes globais da obra, nomeadamente as seguintes:
    1. estruturas;
    2. pavimentos;
    3. escadas;
    4. estrutura da cobertura.
  2. As medições serão individualizadas em rubricas próprias, de acordo com as características dos trabalhos, principalmente as seguintes:
    1. natureza do metal ou das ligas ou dos seus elementos principais
    2. secções nominais e forma dos elementos constituintes
    3. tipo de ligação das peças
    4. tipo de protecção e acabamento;
    5. condições de execução.
  3. A medição engloba todas as operações relativas à execução dos trabalhos, nomeadamente:
    1. fabrico em oficina ou estaleiro, dos elementos que irão constituir a estrutura;
    2. decapagem e aplicação sobre estes elementos duma camada de protecção, sempre que as especificações do projecto exigirem a
    3. execução destes trabalhos antes do respectivo fornecimento, cujas medidas serão determinadas pelas regras definidas no capítulo Pinturas;
    4. fornecimento, carga, transporte e descarga de todos os elementos e materiais no local da obra;
    5. montagem e desmontagem de andaimes e cimbres;
    6. colocação, montagem e afinação dos elementos estruturais e sua ligação definitiva, nomeadamente: rebitagem, aparafusamento ou soldadura.
  4. Sempre que necessário, a medição das operações da alínea anterior poderão ser separadas em rubricas próprias.
  5. As medições serão discriminadas por elementos de construção.
  6. As medições dos perfis que constituem as estruturas metálicas serão agrupadas nas rubricas correspondentes seguintes classes, estabelecidas de acordo com a massa por metro dos perfis:
    1. Classe A – massa igual ou inferior a 10 kg/m;
    2. Classe B – massa superior a 10 kg/m mas igual ou inferior a 20 kg/m;
    3. Classe C – massa superior a 20 kg/m mas igual ou inferior a 50 kg/m;
    4. Classe D – massa superior a 50 kg/m mas igual ou inferior a 100 kg/m;
    5. Classe E – massa superior a 100 kg/m
  7. Os perfis curvos ou alveolares devem ser medidos separadamente em rubricas próprias.

10.2 – Elementos estruturais

  1. A medição será realizada em kg
  2. A medição indicará, além do elemento estrutural, os tipos e dimensões dos perfis tubos, chapas e outros elementos constituintes.
  3. A determinação das medidas para o cálculo das medições obedecerá regras seguintes:
    1. no caso dos perfis e tubos, os comprimentos serão determinados em m e convertidos em kg, de acordo com a massa nominal;
    2. No caso das chapas, a área será determinada em m e convertida em kg, de acordo com a massa nominal;
    3. Em elementos de outro formato, deverá indicar-se a massa por unidade (kg/un);
    4. A avaliação da massa de rebites e parafusos poderá ser feita por contagem ou em percentagem;
    5. Não serão feitas deduções para entalhes e furos. Nos perfis cortados obliquamente, a medida será a do maior comprimento do perfil.
    6. As medidas para a determinação da medição de chapas de superfície irregular serão obtidas a partir do menor rectângulo circunscrito a essas superfícies.

Índice

Notas gerais

Estaleiro

Estrutura

Arquitectura

Arranjos exteriores

  • 27 - Pavimentos exteriores
  • 28 - Pavimentos betuminosos
  • 29 - Jardins
  • 30 - Mobiliário urbano
  • 31 - Vedações

Instalações especiais

Reabilitação

  • 37 - Reabilitação de alvenarias
  • 38 - Reabilitação de betão armado
  • 39 - Reabilitação de cantarias
  • 40 - Reabilitação de carpintarias
  • 41 - Reabilitação de serralharias
  • 42 - Reabilitação de estuques
  • 42 - Reabilitação de azulejos