Critérios de medição de instalações de águas e esgotos

01/01/2022Critérios de medição

32.1 – Regras gerais

  1. As medições serão realizadas de modo a ficarem individualizadas nos subcapítulos que constituem o presente capítulo
  2. As medições dos trabalhos que normalmente não são executados por empresas especializadas em canalizações serão consideradas separadamente em grupos próprios ou nos capítulos referentes a esses trabalhos.
  3. Regra geral, a medição englobará as operações de fabrico, fornecimento, execução, assentamento ou montagem.
  4. Sempre que necessário, as operações indicadas na alínea anterior poderão ser medidas separadamente em rubricas próprias.
  5. As medições serão individualizadas, em rubricas próprias de acordo com as características das canalizações, principalmente as seguintes:
    1. natureza dos materiais constituintes dos tubos e acessórios;
    2. características dos tubos e acessórios nomeadamente: diâmetro nominal (DN), classe ou série e outras características (como por exemplo tubos soldados ou sem costura, etc.):
    3. tipo de ligação dos tubos;
    4. tipo de protecção, de isolamento e de acabamento das canalizações;
    5. condições de execução
  6. Regra geral, a medição da canalização será realizada em m, incluindo os acessórios dos tubos. As medidas serão determinadas entre eixos dos equipamentos a ligar.
  7. Regra geral, o equipamento será medido à unidade (un), segundo as características próprias de cada componente, (torneira, esquentador) ou elemento de construção (fossa séptica, câmara de visita).
  8. A medição dos roços será realizada em m, segundo as medidas indicadas para as respectivas canalizações. As furações no tosco para atravessamentos de canalizações ou fixações de cada elemento de equipamento serão medidas à unidade (un), incluindo os acompanhamentos com argamassa ou a chumbagem.

32.2 – Esgoto doméstico ou de águas residuais

  1. Neste sub-capítulo serão também consideradas as redes de ventilação dos esgotos.
  2. A medição da canalização será realizada segundo as regras indicadas nas alíneas e) e f) das Regras Gerais. No entanto, os troços de rede relativos à interposição de câmaras e de fossas sépticas na rede, não serão considerados.
  3. Regra geral, o equipamento será medido segundo as regras indicadas na alínea g) de Regras Gerais
  4. As câmaras de visita, de inspecção, de retenção, sifónicas etc., serão medidas à unidade (un) de acordo com o seu tipo e características, especialmente a secção horizontal.
  5. Regra geral, as fossas sépticas, especialmente as prefabricadas, serão medidas à unidade (un). No entanto, sempre que conveniente, as medições dos trabalhos necessários à sua execução poderão ser feitas separadamente nos capítulos relativos à respectiva especialidade, pelas regras neles indicadas.
  6. As valas drenantes ou trincheiras filtrantes serão medidas em m. A medição dos poços filtrantes será realizada segundo as regras indicadas para as fossas sépticas.
  7. Todos os movimentos de terras necessários à execução de canalizações, câmaras e fossas e outros elementos enterrados, serão considerados no capítulo Movimento de terras.

32.3 – Esgoto de águas pluviais

  1. As drenagens de águas pluviais, executadas com os métodos e materiais tradicionais serão consideradas no capítulo Revestimentos de Coberturas. Neste capítulo, são incluídas apenas as instalações geralmente executadas pelos empreiteiros de canalizações com materiais e segundo métodos semelhantes restantes instalações de esgoto.
  2. As regras de medição das canalizações, do equipamento e acessórios serão idênticas indicadas para as Instalações de Esgoto Doméstico ou de Águas Residuais.
  3. Os acessórios especiais, como os ralos, os funis, as abas e outros elementos especiais destas redes, serão medidos à unidade (un), com indicação das respectivas características.

32.4 – Distribuição de água

  1. A medição da tubagem será efectuada segundo as regras Indicadas nas alíneas e) e f) das Regras Gerais.
  2. O equipamento será medido segundo as regras indicadas na afinas g) de Regras

Índice

Notas gerais

Estaleiro

Estrutura

Arquitectura

Arranjos exteriores

  • 27 - Pavimentos exteriores
  • 28 - Pavimentos betuminosos
  • 29 - Jardins
  • 30 - Mobiliário urbano
  • 31 - Vedações

Instalações especiais

Reabilitação

  • 37 - Reabilitação de alvenarias
  • 38 - Reabilitação de betão armado
  • 39 - Reabilitação de cantarias
  • 40 - Reabilitação de carpintarias
  • 41 - Reabilitação de serralharias
  • 42 - Reabilitação de estuques
  • 42 - Reabilitação de azulejos