Critérios de medição de pinturas

31/12/2021Critérios de medição

20.1 –  Regras gerais

  1. As medições serão realizadas de modo a ficarem individualizadas e descritas em rubricas próprias, de acordo com as seguintes características:
    1. natureza do trabalho, nomeadamente: pintura e tinta de esmalte, a tinta de água, caiação, velatura, enceramento, envernizamento, metalização a frio, e outros trabalhos semelhantes;
    2. natureza e qualidade dos materiais
    3. natureza e acabamento da superfície a pintar
    4. trabalhos preparatórios da superfície a pintar (limpeza, decapagem, lixagem, selagem, isolamento de nós, remoção de pintura, etc.);
    5. trabalhos preparatórios da pintura, nomeadamente: número de demãos de primários e barramentos;
    6. trabalhos e número de demãos de acabamento;
    7. condições de execução.
  2. As medições serão em regra ordenadas em grupos correspondentes à natureza dos trabalhos relativos à execução dos elementos a pintar. Dentro de cada grupo, a ordenação será idêntica à adaptada no capítulo relativo a esses trabalhos
  3. A medição englobará todas as operações relativas à execução dos trabalhos de pintura, nomeadamente os de fornecimento e preparação de materiais, os trabalhos de preparação das superfícies e preparatórios de pintura e a pintura propriamente dita, com seu acabamento.
  4. Regra geral, as pinturas, principalmente as de grandes superfícies, serão medidas em m2 com as excepções indicadas nas alíneas das rubricas seguintes.
  5. As medidas para a determinação das medições serão, em geral, as estabelecidas no capítulo relativo a Revestimentos. No caso de superfícies irregulares ou superfícies onduladas, a medição será determinada a partir da área de projecção da superfície a pintar sobre a superfície de base e separada em rubricas próprias, O acréscimo não considerado será incluído no respectivo preço unitário.
  6. As medições de pintura de perfis cujo perímetro pintado não exceda 0,30 m serão feitas em m e agrupadas em rubricas correspondentes a 3 classes de dimensões do perímetro pintado
  7. Os perfis com perímetro pintado superior a 0,30 m serão medidos em m2. A área de pintura será obtida pelo produto do desenvolvimento do perímetro pintado pelo comprimento do perfil.
  8. A medição da pintura de tubos e condutas será realizada de acordo com as regras indicadas nas alíneas 6) e 7) anteriores, O perímetro pintado será determinado a partir do diâmetro exterior.
  9. A pintura de pequenas peças isoladas será medida à unidade (un)
  10. Os trabalhos especiais de pintura, como por exemplo os de decoração, não são objecto destas regras. O medidor deverá indicar no enunciado da medição destes trabalhos as regras que adoptar.
  11. Quando os elementos de construção são fornecidos para a obra já pintados, a medição da pintura poderá ser incluída nos trabalhos de execução daqueles elementos, conforme foi referido nas alíneas 6) dos capítulos Carpintarias e Serralharias.

20.2 – Pintura de estruturas metálicas

  1. Regra geral, a medição será realizada de acordo com as regras gerais indicadas neste capítulo.
  2. Quando for conveniente a medição poderá ser realizada em kg, segundo o peso dos elementos constituintes da estrutura metálica
  3. Os elementos indicados na alínea anterior deverão ser separados em rubricas próprias, de acordo com a dificuldade de execução da pintura segundo as classes de perfis indicadas na alínea f) das Regras Gerais do capítulo Estruturas Metálicas.

20.3 – Pintura de portas e portões

  1. A medição da pintura das folhas será realizada em m2 em ambas as faces.
  2. A medição da pintura dos guarnecimentos e dos aros será realizada de acordo com as regras das alíneas f) e g das Regras Gerais deste capítulo.
  3. A pintura de portas e portões que implique dificuldades especiais de execução poderá ser medida separadamente em rubricas próprias.
  4. A pintura de portões metálicos com grande número de motivos ornamentais poderá ser medida à unidade (un).

20.4 – Pintura de janelas e envidraçados

  1. Os caixilhos, para efeito de medição da respectiva pintura, serão agrupados, de acordo com a área vista de cada peça de vidro em classes. Quando o mesmo caixilho tiver peças de vidro correspondentes a mais de uma classe, deverá ser classificado na classe correspondente à da área média dos vidros.
  2. A pintura dos elementos componentes dos caixilhos pertencentes à classe D será medida segundo as regras das alíneas 17 e g) das Regras Gerais deste capítulo.
  3. A medição da pintura dos caixilhos pertencentes classes A, B e C será realizada em m2 em ambas as faces, separando em rubricas próprias os trabalhos relativos a caixilhos correspondentes a diferentes classes.
  4. Regra geral, a medição da pintura de aros e guarnecimentos será feita separadamente, em rubricas próprias, pelas regras enunciadas nas alíneas f) e g) das Regras Gerais. No entanto, no caso de caixilhos fixos, a medição da pintura destes elementos poderá ser incluída na dos caixilhos, caso estes trabalhos se realizem em conjunto
  5. As medidas para a determinação das medições serão as utilizadas na medição dos próprios elementos excepto no que respeita dos perímetros pintados dos aros, guarnecimentos e caixilhos da classe D que serão obtidas de acordo com o indicado nas alíneas 6) e 7) das regras gerais deste capítulo.

20.5 – Outros elementos em vãos

  1. A medição da pintura de outros elementos em vãos – nomeadamente estores, persianas, grades de vãos, portas de lagarto, redes e grelhas – será realizada em m2 nas duas faces, em rubrica própria, para cada tipo de elemento com as mesmas características.
  2. As grelhagens de betão serão medidas segundo as regras da alínea anterior.
  3. As caixas de estore serão medidas segundo as regras indicadas nas alíneas f) e g) das Regras Gerais deste capítulo.
  4. As medidas para a determinação de medições serão as do enquadramento do vão onde os elementos se inserem.

20.6 – Pintura de grades, guardas, balaustradas e corrimãos

  1. A pintura de grades e guardas constituídas por perfis, serão medidas em m numa face, em rubrica própria, para cada tipo de elemento com as mesmas características.
  2. A medição da pintura dos corrimãos isolados ou dos que recebam uma pintura diferente da respectiva guarda será realizada segundo as regras indicadas na alínea alíneas f) e g) Regras gerais deste capítulo.
  3. No caso de elementos especiais, como por exemplo balaustres e acrotérios, a medição deverá ser feita à unidade (un).

20.7 – Pintura de equipamento fixo e móvel

  1. Regra geral, a medição será realizada à unidade (un).
  2. A medição da pintura de elementos de equipamento com grandes superfícies lisas (nomeadamente armários fixos) poderá ser realizada m2. Deverão ser explicitadas as faces e vistas a pintar. A área de medição deverá corresponder à área explicitada.

Índice

Notas gerais

Estaleiro

Estrutura

Arquitectura

Arranjos exteriores

  • 27 - Pavimentos exteriores
  • 28 - Pavimentos betuminosos
  • 29 - Jardins
  • 30 - Mobiliário urbano
  • 31 - Vedações

Instalações especiais

Reabilitação

  • 37 - Reabilitação de alvenarias
  • 38 - Reabilitação de betão armado
  • 39 - Reabilitação de cantarias
  • 40 - Reabilitação de carpintarias
  • 41 - Reabilitação de serralharias
  • 42 - Reabilitação de estuques
  • 42 - Reabilitação de azulejos